Brasil comemora Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestino

Reportagem do MEMO internacional ouviu a FEPAL sobre a importância de – mesmo com as restrições da pandemia – promover agendas alusivas ao Dia de Solidariedade com o Povo Palestino.

02/12/2020

Representantes da comunidade palestina na Câmara Municipal de Florianópolis em atividades alusivas ao Dia de Solidariedade com o Povo Palestino de 2019 (Foto: Câmara Municipal de Florianópolis)

Pouco antes do Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestino deste ano, 164 países votaram a favor do direito dos palestinos à autodeterminação em uma sessão do Terceiro Comitê da ONU realizada em 19 de novembro. Notavelmente, o Brasil votou a favor da autodeterminação dos palestinos depois de votar contra em dois anos consecutivos, após o início do mandato de Jair Bolsonaro em outubro de 2018. Com esta última votação, o Brasil voltou à posição que tinha assumido regularmente em relação ao conflito na Palestina ocupada.

“O voto do Brasil pelo direito palestino à autodeterminação é louvável e apreciável, mas não há autodeterminação sem fronteiras específicas, recursos naturais e um território claramente definido”, explicou Ualid Rabah, presidente da Federação Árabe Palestina do Brasil (FEPAL).

Embora a política externa de Bolsonaro promova o relacionamento do Brasil com Israel, o povo brasileiro ainda mantém sua promessa aos palestinos e mostra sua solidariedade no dia 29 de novembro de cada ano. A data foi escolhida pela ONU em 1977, pois foi em 29 de novembro de 1947 que a Assembleia Geral adotou a Resolução 181, o Plano de Partilha da ONU para a Palestina.

O Dia Internacional da Solidariedade lembra ao mundo que a questão da Palestina continua sem solução e que o povo palestino ainda espera pelo cumprimento de seus direitos nacionais, civis e humanos.

“Reafirmamos nosso compromisso com a defesa dos direitos do povo palestino”, disse Rabah. “É um dia para a humanidade renovar seu compromisso com o povo palestino. Nunca devemos permitir que tal limpeza étnica aconteça novamente”.

As medidas em vigor para conter a disseminação da Covid-19 fizeram com que os eventos de solidariedade deste ano ocorressem online. “Nós vamos concentrar em atividades ao longo de uma semana de ação para marcar o Dia Internacional de Solidariedade ao Povo Palestino”, explicou Rabah. “Uma série de gráficos e vídeos estão circulando nas redes sociais. Temos experiência nesse sentido com ótimos resultados”.

No ano passado, a FEPAL fez uma exposição pública de fotografias e cartazes em Porto Alegre, intitulada “Palestina: da Limpeza Étnica à Resistência e ao Reconhecimento Internacional”. Este ano, a exposição está online e cita declarações públicas de figuras conhecidas como Albert Einstein, Nelson Mandela e Roger Waters.

A Federação Israelense do Rio Grande do Sul reagiu fortemente e tentou censurar a mostra em 2019 pressionando a mídia e a Assembleia Legislativa. De acordo com Rabah, esses esforços não tiveram sucesso. “A exposição foi visitada por milhares de pessoas, que tiraram fotos e postaram nas redes sociais. Isso aumentou o alcance da exposição exponencialmente.”

A FEPAL também lançou pela primeira vez um Curso de Geopolítica online e gratuito, em parceria com a Juventude Palestina Árabe-Brasileira – SANAÚD. O objetivo é aumentar a conscientização sobre a Palestina nos próximos anos. O curso contém quatro módulos que cobrem a limpeza étnica do povo palestino, o mundo árabe pós-Oslo, o “acordo do século” e a normalização com a ocupação israelense.

Além disso, a FEPAL desenhou alguns frames e pediu ao povo brasileiro que os usasse como imagens de perfis em redes sociais no Dia da Solidariedade com a mensagem “Solidariedade ao Povo Palestino – 29 de novembro”. A campanha recebeu muitas respostas positivas.

Em 2019, a FEPAL e 210 parlamentares brasileiros, entre senadores e deputados federais, comemoraram o Dia Internacional da Solidariedade ao Povo Palestino no Plenário da Câmara dos Deputados em Brasília. Trabalhar para a Palestina não deve se limitar a apenas um dia por ano, no entanto. Existem várias coisas que os palestinos na diáspora deveriam encorajar.

“Devemos manter nossas tradições, cultura, idioma e identidade”, disse Rabah. “Se não o fizermos, então nossos filhos e os filhos de nossos filhos e assim por diante não reconhecerão mais sua ancestralidade palestina. Devemos também ocupar lugares em parlamentos, governos e sociedade civil, incluindo sindicatos, partidos políticos e outras associações, escolas e universidades.”

O sonho de um Estado palestino independente ainda não viu a luz do dia, mas o Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestino oferece uma ocasião para celebrar sua incrível resiliência, força e desenvoltura. Eles continuam determinados a ficar em suas terras, enquanto os refugiados continuam determinados a exercer seu direito legítimo de retorno, apesar dos esforços contínuos de Israel para apagar a identidade palestina e obliterar a própria existência do povo palestino. Isso acontecerá, com apoio global, enquanto os corações baterem de amor pela Palestina, independentemente do que os governos façam ou digam. A falecida lenda do futebol Diego Maradona disse de forma muito sucinta: “Meu coração é palestino.” Precisamos de mais pessoas como Maradona.

Matéria publicada originalmente no MEMO.

Notícias em destaque

24/06/2024

DA REPATRIAÇÃO ILEGAL DA FAMÍLIA PALESTINO-MALAIA À CONSTRUÇÃO DO TOTALITARISMO NO BRASIL

Sobre a repatriação, ontem, por ordem judicial, do cidadão palestino Muslim [...]

LER MATÉRIA
27/05/2024

Repórteres Sem Fronteiras apresenta terceira queixa ao TPI sobre crimes de guerra israelenses contra jornalistas em Gaza

Apresentada em 24 de Maio, três dias antes do nono aniversário da Resolução [...]

LER MATÉRIA
26/05/2024

A humanidade precisa parar “israel” como parou o nazismo: pelas armas

Os horrores testemunhados pela humanidade hoje, em Rafah, extremidade sul [...]

LER MATÉRIA
15/05/2024

Ato na Assembleia Legislativa de SP relembra 76 anos da Nakba denuncia genocídio na Palestina

Na segunda-feira à noite, mais de duzentas pessoas, dezenas delas [...]

LER MATÉRIA
11/04/2024

Caiado e Tarcísio em Israel: uma viagem muito estranha e sem respostas.

Uma viagem estranha, que teve por objetivo inicial prestar apoio e [...]

LER MATÉRIA
05/04/2024

Prefeitura de São Leopoldo reinaugura Praça Palestina.

Nesta terça-feira, 2 de abril, realizou-se a cerimônia de entrega da obra [...]

LER MATÉRIA