Cessar-fogo sem apurar genocídio na Palestina será a vitória de novo padrão genocidário de “israel” e EUA para o mundo.

25/03/2024

A anunciada resolução do Conselho de Segurança da ONU pelo cessar-fogo na Palestina, nesta manhã, com 14 votos favoráveis e a abstenção dos EUA, principal promotor do genocídio palestino, é importante, mas nem de longe é resolução do problema real e, menos ainda, um ponto final para a Questão Palestina, que se arrasta por 76 anos, desde quando iniciada a limpeza étnica que varreu o povo palestino, de que a atual matança e mero seguimento de genocídio programado e que nunca parou.

A eficácia deste cessar-fogo exige atenção ao segundo momento neste genocídio, qual seja, a morte massiva em Gaza pela fome, previamente programada por EUA e “israel”. Assim, é imperioso o imediato ingresso de toda a ajuda humanitária, até agora impedida por EUA e “israel”, e sua distribuição em toda a Faixa de Gaza pela ONU/UNRWA e por organizações idôneas, como Cruz Vermelha e Crescente Vermelho, Médicos Sem Fronteiras, outras organizações humanitárias presentes no terreno, dentre elas as palestinas, além das autoridades palestinas. EUA e “israel” não podem ter papel nenhum nesta atividade humanitária, visto serem os autores intelectuais e materiais do genocídio palestino, bem como os arquitetos para que rossiga pela fome e doenças.

Para além disso, são, ainda, minimamente necessários:

1- Início imediato das investigações do crime de genocídio, que levem a Netanyahu e a todos os seus sócios genocidas, “israelenses” e demais;

2- A imediata retirada das tropas invasoras e genocidas de “israel”;

3- Fim do bloqueio à Faixa de Gaza;

4- Organização de força internacional que garanta paz e segurança ao povo palestino, imponha a “israel” o cessar-fogo por meios bélicos, caso se recuse a cessar o genocídio;

5- Início imediato da reconstrução de Gaza, que deve ser financiada com indenizações dos EUA e de “israel” ao povo palestino;

6- Realização de Conferência Internacional para solução definitiva da Questão Palestina, coordenada pelas Nações Unidas e por países não implicados no genocídio palestino, para implementação de todas as resoluções da ONU aplicáveis à Palestina, incluída a do retorno dos refugiados palestinos, da qual resulte Estado Palestino Soberano, com Jerusalém sua capital;

7- Libertação dos calabouços “israelenses” de todos os palestinos sequestrados desde 7 de outubro e os que nesta condição estavam desde décadas antes;

8- Aprovação e aplicação de sanções, pela ONU, a “israel”, até que tenham fim seu regime de Apartheid supremacista judaico, os confiscos de terras palestinas para colonização por estrangeiros judeus e suas atividades de limpeza étnica na Palestina.

Sem que pelo menos isso esteja num horizonte imediato, o cessar-fogo será, novamente, apenas novo intervalo no genocídio continuado na Palestina e, de consequência, a licença a “israel” para que prossiga nos seus planos de solução final, de total extermínio do povo palestino, como é o plano sionista desde ao menos 1896.

Como já afirmamos nas matanças anteriores, o cessar-fogo não pode ser mero prelúdio entre uma matança e outra na Palestina. Portanto, além de um cessar-fogo já, é preciso o fim da ocupação já e a restauração de todos os direitos nacionais, civis e humanitários do povo palestino, que serão concretos apenas com o fim do regime sionista, tal qual tiveram fim seus congêneres, o nazismo na Europa e o Apartheid na África do Sul.

Se a Comunidade Internacional limitar-se ao alívio trazido por mais um cessar-fogo na Palestina, EUA e “israel” sairão vitoriosos e os genocídios serão a regra na construção do almejado totalitarismo global, o verdadeiro objetivo do imperialismo estadunidense e de seu laboratório sionista, ora em teste televisionado em Gaza.

 

Palestina Livre do genocídio a partir do Brasil, 25 de março de 2024, 76º ano da Nakba.

Notícias em destaque

15/05/2024

Ato na Assembleia Legislativa de SP relembra 76 anos da Nakba denuncia genocídio na Palestina

Na segunda-feira à noite, mais de duzentas pessoas, dezenas delas [...]

LER MATÉRIA
11/04/2024

Caiado e Tarcísio em Israel: uma viagem muito estranha e sem respostas.

Uma viagem estranha, que teve por objetivo inicial prestar apoio e [...]

LER MATÉRIA
05/04/2024

Prefeitura de São Leopoldo reinaugura Praça Palestina.

Nesta terça-feira, 2 de abril, realizou-se a cerimônia de entrega da obra [...]

LER MATÉRIA
01/04/2024

Lula é agraciado com comenda Hanna Safieh de Direitos Humanos, um dos fundadores da FEPAL

O professor de origem palestina Hanna Safieh, um dos mais importantes [...]

LER MATÉRIA
28/03/2024

“O limiar que indica a prática de genocídio por Israel foi atingido”, indica ONU

Na terça-feira, 26, a Comissão de Direitos Humanos da ONU apresentou o [...]

LER MATÉRIA
21/03/2024

Em tempos de genocídio na Palestina, FEPAL convoca seu 11º Congresso.

A direção da FEPAL – Federação Árabe Palestina do Brasil anuncia a [...]

LER MATÉRIA