Suprema Corte de Israel apoia radicais contra o Patriarcado de Jerusalém

10/06/2022

Sede do Patriarcado de Jerusalém foi atacada por extremistas israelenses nesta mesma semana

Na última quarta-feira (8), o Supremo Tribunal de Israel emitiu uma decisão rejeitando as últimas tentativas do Patriarcado Ortodoxo Grego de Jerusalém de anular uma decisão de julho de 2017 que validava a expropriação de suas propriedades no Portão de Jaffa (Bab Al-Khalil) em favor da organização radical israelense Ateret Cohanim.

A entidade religiosa trava uma batalha legal para tentar reverter esta situação há 17 anos.

Em nota, o Patriarcado de Jerusalém considerou a decisão do tribunal injusta, ilegal e ilógica, já que a organização radical e seus apoiadores seguiram métodos fraudulentos para adquirir imóveis cristãos em um dos locais mais importantes das culturas árabes islâmica e cristã na Cidade Sagrada.

Nos últimos anos, o Patriarcado lançou uma dispendiosa campanha jurídica, midiática e diplomática para pressionar as autoridades israelenses a impedirem que organizações radicais tomassem essas propriedades. As tentativas, no entanto, sob constante pressão contrária dessas frentes radicais e de seus agentes aos órgãos decisórios, não foram bem sucedidas.

O Patriarcado afirmou que continuará apoiando os inquilinos palestinos em sua resistência nessas propriedades (localizadas especialmente na Cidade Velha), e que é inabalável em sua batalha para conter a política racista e a agenda da extrema-direita em Israel, que visa erodir as múltiplas identidades de Jerusalém impondo uma nova realidade – de supremacia judaica – dentro dela.

Radicais invadiram Patriarcado esta mesma semana

Na última segunda-feira (6) de manhã, o Patriarcado de Jerusalém teve sua sede atacada por um grupo de cerca de 50 extremistas israelenses. Os radicais romperam o portão e a grade e forçaram a entrada no local, uma capela localizada na colina de São Sião.

Não é a primeira vez que o Patriarcado é alvo desse tipo de ataque.

Os invasores profanaram o interior da igreja e ameaçaram um guarda – segundo o comunicado oficial do Patriarcado – com a frase “sabemos onde você vive e vamos te matar”.

Ele, porém, conseguiu escapar e chamou a polícia, que chegou ao local e reestabeleceu a ordem.

O Patriarcado de Jerusalém condenou o ocorrido, classificando-o como “inaceitável”, e salientou que “vai verificar todas as possibilidades para obter justiça pelos seus direitos e (departamento) pessoal”.

A queixa à polícia foi apresentada pelo Metropolita Isychios de Kapitolias (o Comissário Patriarcal Geral) e pela testemunha ocular do incidente, o Arquimandrita Pe. Matthew. Eles pediram à polícia que os vândalos sejam encontrados e que a segurança da propriedade seja resguardada, sobretudo às vésperas das celebrações do Santo Pentecostes e da Festa do Espírito Santo, que ocorrem nos próximos dias.

Notícias em destaque

24/06/2024

DA REPATRIAÇÃO ILEGAL DA FAMÍLIA PALESTINO-MALAIA À CONSTRUÇÃO DO TOTALITARISMO NO BRASIL

Sobre a repatriação, ontem, por ordem judicial, do cidadão palestino Muslim [...]

LER MATÉRIA
27/05/2024

Repórteres Sem Fronteiras apresenta terceira queixa ao TPI sobre crimes de guerra israelenses contra jornalistas em Gaza

Apresentada em 24 de Maio, três dias antes do nono aniversário da Resolução [...]

LER MATÉRIA
26/05/2024

A humanidade precisa parar “israel” como parou o nazismo: pelas armas

Os horrores testemunhados pela humanidade hoje, em Rafah, extremidade sul [...]

LER MATÉRIA
15/05/2024

Ato na Assembleia Legislativa de SP relembra 76 anos da Nakba denuncia genocídio na Palestina

Na segunda-feira à noite, mais de duzentas pessoas, dezenas delas [...]

LER MATÉRIA
11/04/2024

Caiado e Tarcísio em Israel: uma viagem muito estranha e sem respostas.

Uma viagem estranha, que teve por objetivo inicial prestar apoio e [...]

LER MATÉRIA
05/04/2024

Prefeitura de São Leopoldo reinaugura Praça Palestina.

Nesta terça-feira, 2 de abril, realizou-se a cerimônia de entrega da obra [...]

LER MATÉRIA