Suprema Corte de Israel apoia radicais contra o Patriarcado de Jerusalém

10/06/2022

Sede do Patriarcado de Jerusalém foi atacada por extremistas israelenses nesta mesma semana

Na última quarta-feira (8), o Supremo Tribunal de Israel emitiu uma decisão rejeitando as últimas tentativas do Patriarcado Ortodoxo Grego de Jerusalém de anular uma decisão de julho de 2017 que validava a expropriação de suas propriedades no Portão de Jaffa (Bab Al-Khalil) em favor da organização radical israelense Ateret Cohanim.

A entidade religiosa trava uma batalha legal para tentar reverter esta situação há 17 anos.

Em nota, o Patriarcado de Jerusalém considerou a decisão do tribunal injusta, ilegal e ilógica, já que a organização radical e seus apoiadores seguiram métodos fraudulentos para adquirir imóveis cristãos em um dos locais mais importantes das culturas árabes islâmica e cristã na Cidade Sagrada.

Nos últimos anos, o Patriarcado lançou uma dispendiosa campanha jurídica, midiática e diplomática para pressionar as autoridades israelenses a impedirem que organizações radicais tomassem essas propriedades. As tentativas, no entanto, sob constante pressão contrária dessas frentes radicais e de seus agentes aos órgãos decisórios, não foram bem sucedidas.

O Patriarcado afirmou que continuará apoiando os inquilinos palestinos em sua resistência nessas propriedades (localizadas especialmente na Cidade Velha), e que é inabalável em sua batalha para conter a política racista e a agenda da extrema-direita em Israel, que visa erodir as múltiplas identidades de Jerusalém impondo uma nova realidade – de supremacia judaica – dentro dela.

Radicais invadiram Patriarcado esta mesma semana

Na última segunda-feira (6) de manhã, o Patriarcado de Jerusalém teve sua sede atacada por um grupo de cerca de 50 extremistas israelenses. Os radicais romperam o portão e a grade e forçaram a entrada no local, uma capela localizada na colina de São Sião.

Não é a primeira vez que o Patriarcado é alvo desse tipo de ataque.

Os invasores profanaram o interior da igreja e ameaçaram um guarda – segundo o comunicado oficial do Patriarcado – com a frase “sabemos onde você vive e vamos te matar”.

Ele, porém, conseguiu escapar e chamou a polícia, que chegou ao local e reestabeleceu a ordem.

O Patriarcado de Jerusalém condenou o ocorrido, classificando-o como “inaceitável”, e salientou que “vai verificar todas as possibilidades para obter justiça pelos seus direitos e (departamento) pessoal”.

A queixa à polícia foi apresentada pelo Metropolita Isychios de Kapitolias (o Comissário Patriarcal Geral) e pela testemunha ocular do incidente, o Arquimandrita Pe. Matthew. Eles pediram à polícia que os vândalos sejam encontrados e que a segurança da propriedade seja resguardada, sobretudo às vésperas das celebrações do Santo Pentecostes e da Festa do Espírito Santo, que ocorrem nos próximos dias.

Notícias em destaque

27/06/2022

ONG palestina denuncia Israel por tortura sistemática aos prisioneiros palestinos

A Iniciativa Palestina para a Promoção do Diálogo Global e a Democracia [...]

LER MATÉRIA
24/06/2022

ONG palestina de direitos humanos Al-Haq recebe prêmio internacional na Áustria

A organização palestina de direitos humanos Al-Haq, sediada em Ramallah, [...]

LER MATÉRIA
15/06/2022

FEPAL discute Questão Palestina com Guilherme Boulos

A vice-presidente da Federação Árabe Palestina do Brasil – FEPAL, [...]

LER MATÉRIA
10/06/2022

Suprema Corte de Israel apoia radicais contra o Patriarcado de Jerusalém

Na última quarta-feira (8), o Supremo Tribunal de Israel emitiu uma decisão [...]

LER MATÉRIA
03/06/2022

FEPAL entrega a Lula carta com proposições para a agenda externa brasileira e defesa dos direitos humanos

Uma comitiva da FEPAL entregou, ontem (2), uma carta com as proposições da [...]

LER MATÉRIA
27/05/2022

FEPAL presta solidariedade a articulista atacado por denunciar Israel

Em carta encaminhada ao reitor da UNISINOS – Universidade do Vale dos [...]

LER MATÉRIA