FEPAL lança campanha nas redes para denunciar o apartheid de Israel

Federação irá detalhar e discutir as formas como o Estado israelense age para restringir os direitos de pelo menos 7 milhões de palestinos

10/02/2021

A Federação Árabe Palestina do Brasil – FEPAL lançou, na última segunda-feira (8), a campanha “Sionismo é racismo, Israel é apartheid”. O objetivo é mostrar ao público brasileiro, por meio de uma série de posts e de outras ações, como o Estado de Israel age para restringir os direitos de pelo menos 7 milhões de palestinos que vivem entre o Rio Jordão e o Mar Mediterrâneo, a faixa de terra historicamente conhecida como a Palestina.

Ao longo dos próximos meses, iremos aprofundar as críticas a Israel, denunciando o caráter supremacista do sionismo, ideologia por trás da criação do “Estado nacional judaico”, e o avanço do plano de “judaização” da região, com o roubo continuado de terras palestinas e uma série de leis discriminatórias. Somou-se às motivações para a campanha um relatório publicado mês passado pelo grupo de direitos humanos israelense B’Tselem.

Leia a íntegra do relatório do B’Tselem em português

“Esta classificação do regime israelense como apartheid está longe de ser uma novidade para os palestinos e defensores dos direitos humanos no mundo todo”, explica Ualid Rabah, presidente da FEPAL. “Este posicionamento inédito do B’Tselem, no entanto, é mais um indicativo da insustentabilidade prática e jurídica do sistema de repressão, exclusão e controle que Israel vem construindo ao longo das últimas décadas na Palestina”, diz.

Para Ualid, são muito claros os paralelos entre o princípio organizador de Israel em todos os territórios ocupados e o sistema de segregação racial que vigorou na África do Sul entre 1948 e 1994. “Ambos os regimes usam a força institucional e a violência para consolidar a supremacia de um grupo sobre outro – no nosso caso, judeus, muitos dos quais estrangeiros recém-chegados, sobre os palestinos, a totalidade da população originária”, comenta. “Isso é apartheid”.

Combate ao lobby sionista no Brasil

Outra das razões mencionadas pela Federação para a realização da campanha neste momento é o crescimento do lobby sionista no Brasil. Segundo o texto de lançamento, para além do alinhamento do atual governo com Israel, há um movimento muito mais sutil em curso, que pretende criminalizar – aqui no país – as críticas ao regime israelense, classificando-as como antissemitismo.

“Este é um escudo do qual passaram a se servir muitos radicais e extremistas que tentam negar à Palestina a sua existência, uma fórmula tosca e reducionista que vem crescendo muito nestes tempos de polarização”, diz o presidente da FEPAL. “Queremos mostrar como este termo tem sido distorcido, manipulado e utilizado como forma de chantagem por todos aqueles que são coniventes com os crimes de Israel na Palestina”, conclui.

Todas as ações da campanha “Sionismo é racismo, Israel é apartheid” podem ser acompanhadas nas redes sociais da FEPAL.

A FEPAL inicia hoje a campanha “Sionismo é racismo, Israel é apartheid”, com o objetivo de mostrar ao público brasileiro…

Publicado por Fepal Federação Palestina em Segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

Notícias em destaque

15/05/2024

Ato na Assembleia Legislativa de SP relembra 76 anos da Nakba denuncia genocídio na Palestina

Na segunda-feira à noite, mais de duzentas pessoas, dezenas delas [...]

LER MATÉRIA
11/04/2024

Caiado e Tarcísio em Israel: uma viagem muito estranha e sem respostas.

Uma viagem estranha, que teve por objetivo inicial prestar apoio e [...]

LER MATÉRIA
05/04/2024

Prefeitura de São Leopoldo reinaugura Praça Palestina.

Nesta terça-feira, 2 de abril, realizou-se a cerimônia de entrega da obra [...]

LER MATÉRIA
01/04/2024

Lula é agraciado com comenda Hanna Safieh de Direitos Humanos, um dos fundadores da FEPAL

O professor de origem palestina Hanna Safieh, um dos mais importantes [...]

LER MATÉRIA
28/03/2024

“O limiar que indica a prática de genocídio por Israel foi atingido”, indica ONU

Na terça-feira, 26, a Comissão de Direitos Humanos da ONU apresentou o [...]

LER MATÉRIA
21/03/2024

Em tempos de genocídio na Palestina, FEPAL convoca seu 11º Congresso.

A direção da FEPAL – Federação Árabe Palestina do Brasil anuncia a [...]

LER MATÉRIA